Moeda única entre Brasil e Argentina pode criar febre do bitcoin no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) estuda criar uma moeda única com a Argentina. O anúncio causou espanto aos economistas, que não esperavam por uma proposta como essa. Mas, o projeto pode criar uma nova febre do bitcoin no Brasil.

O “peso real” pode significar uma fragilização da economia do país. O projeto apresentado por Jair Bolsonaro (PSL) deve impactar no real brasileiro. Para alguns parlamentares, essa proposta pode fazer o dólar norte-americano valer R$ 6,00 perante o real brasileiro, em um momento hipotético de crise financeira.

Bolsonaro e Paulo Guedes apresentam o “peso real”

A moeda única que pode ser criada entre os países sul-americanos foi apresentada em uma recente reunião na Argentina. Além de Bolsonaro, esteve também presente no encontro o ministro da economia Paulo Guedes. Na ocasião, empresários dos dois países se reuniram para conhecer a proposta do “peso real”.

Na reunião, a proposta é alinhar políticas econômicas entre os países. Guedes e Bolsonaro acreditam em um fortalecimento da macroeconomia ao criar uma moeda única entre o Brasil e a Argentina. O “peso real” seria utilizado em ambos países, que possuem um alinhamento político recente.- Publicidade –

O mercado recebeu a informação sobre a moeda única entre os países com certa preocupação. Políticos brasileiros também demonstraram total desaprovação para o projeto econômico do governo de Jair Bolsonaro (PSL). Para Rodrigo Maia (DEM-RJ), a proposta deverá desvalorizar significativamente o real. Essa movimentação abrirá caminho para uma febre do bitcoin no Brasil.

Bolsonaro apresenta proposta de moeda única (reprodução/facebook)

Nova febre do bitcoin pode começar no Brasil

A economia brasileira vive momentos delicados em que o crescimento planejado não está sendo registrado nos índices econômicos. Até mesmo a previsão para o (PIB) do Brasil já foi revista em 2019. Essa situação poderá ser agravada com o projeto do “peso real” entre o Brasil e Argentina.

O presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) alertou para a desvalorização do real brasileiro, em relação a moeda única. O parlamentar criticou duramente o projeto da moeda do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Para Maia, o projeto pode significar um profundo impacto na economia do país. Em uma postagem nas redes sociais, em resposta ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), o deputado federal disse que o dólar norte-americano poderá valer R$ 6,00. Isso significaria uma desvalorização enorme da moeda brasileira perante o dólar.

O parlamentar também anunciou sua preocupação com a inflação no Brasil. Através de perguntas, ainda sem respostas, Maia quer saber se a inflação voltará a assolar o Brasil. Uma inflação sem controle pode desestabilizar a economia no país. E toda essa instabilidade poderá ser criada com o “peso real”.

Com a economia em queda no Brasil, o bitcoin ganhará força total. Na Argentina, onde a economia vive momentos de total incerteza, a procura pela criptomoeda demonstra como os argentinos enxergam no bitcoin uma alternativa para fugir da crise.

Bitcoin experimenta preços absurdos na Argentina

Uma economia fragilizada deve impactar em diversos setores em todo o país. Com o cenário de desvalorização acentuada do real brasileiro, o bitcoin cresceria exponencialmente. A criptomoeda pode ser elencada como uma viável alternativa ao real, em uma situação de enorme desvalorização.

Embora essa situação seja hipotética, outros países já enfrentaram essa febre do bitcoin. Causada por uma economia em queda com índices inflacionários alarmantes, o bitcoin é a salvação para argentinos, por exemplo.

O peso argentino se desvalorizou expressivamente perante ao dólar norte-americano nos últimos quatro anos. O país vive uma crise econômica que levou milhões de pessoas à pobreza, e que foi acentuada no último governo.

Com a crise econômica argentina, o preço do bitcoin vive nas alturas. A criptomoeda tornou-se uma alternativa para aqueles que procuram fugir da alta inflação no país. Recentemente o preço do bitcoin na Argentina alcançou valores inimagináveis.

A crise na Argentina elevou o preço e a procura por bitcoins em todo o país. No final de 2018, a criptomoeda voltou a renovar sua máxima histórica na Argentina, ao alcançar quase 400 mil pesos. Esse valor ultrapassa, até mesmo, o preço do bitcoin em 2017, momento em que a criptomoeda viveu seu maior pico no mercado até então.

Fonte: Live Coins

As informações contidas neste informativo foram obtidas por fontes públicas consideradas confiáveis e possuem caráter meramente informativo, não constitui qualquer tipo de conselho de investimento, jurídico e ou de qualquer natureza.

Comentários