Argentina busca utilizar criptomoedas para diminuir sua dependência ao dólar americano

Após o bilionário Tim Draper ter recomendado ao presidente da Argentina Mauricio Macri aderir o Bitcoin como moeda oficial, o país pode adotar alguns passos para utilizar as criptomoedas de forma mais profunda.

O CEO do Grupo Huobi Leon Li reuniu-se com altas autoridades financeiras argentinas nesta semana para discutir o papel da blockchain e das criptomoedas na economia do país. A reunião foi divulgada em um comunicado compartilhado com a Cointelegraph na última sexta-feira, 29 de março.

Em uma reunião em Pequim, o vice-ministro das Finanças da Argentina, Felix Martin Soto, afirmou que o governo deveria abordar a tecnologia de criptomoedas e blockchain como forma de promover a inclusão financeira da Argentina e reduzir os custos do Estado.

Soto, que lidera as relações financeiras internacionais da Argentina, explicou que metade da população do país não possui contas bancárias e opera transações em dinheiro convertendo suas economias em dólares americanos (USD). Devido ao histórico de calotes e hiperinflação argentino, muitas pessoas também possuem o hábito de poupar dinheiro em dólares, visando ter uma reserva em moeda forte.

Soto afirmou que acredita que promover a indústria de criptoativos no país ajudará a reduzir a demanda por dólares, o que acabará contribuindo para estabilizar o mercado local e atrair investimentos globais para a Argentina.

Em uma reunião da delegação – que também incluiu o diretor-geral argentino do Departamento Bilateral de Finanças Externas, Javier Matias Mana – as partes também discutiram uma possível expansão das atividades da Huobi para a Argentina.

“Gostaríamos de aprender como participar da indústria de criptomoedas e blockchain de Huobi. […] Através da tokenização na plataforma de Huobi, por exemplo, os abundantes recursos agrícolas, minerais e energéticos da Argentina poderiam ser bem financiados por investidores globais”, afirmou Soto.

A autoridade financeira concluiu que “com a expertise da Huobi em blockchain e criptomoedas, a Argentina pode acelerar seu ritmo de expansão para a era dos ativos digitais”.

A notícia veio logo na sequência do já mencionado encontro entre Macri e Draper. O notório investidor disse ao presidente que a legalização do Bitcoin (BTC) melhoraria a situação econômica do país. Segundo Draper, a adoção de criptomoedas e blockchain no país pode resolver grandes gargalos da economia argentina, incluindo a desvalorização do peso argentino e a consequente fuga de cérebros do país por causa da crise.

Fundada na China em 2013, a Huobi é uma das principais exchanges globais de criptomoedas, ocupando atualmente a 12ª posição no ranking mundial em volume de negociação. Apesar do mercado de baixa em 2018, o Cointelegraph afirmou que a exchange registrou recentemente um crescimento de 100% no volume negociado em 2018 em relação a 2017.

No entanto, recentemente a Huobi anunciou que sua subsidiária na Austrália será fechada e operada por uma equipe na sede da Huobi Global, em Cingapura. O motivo da decisão foram as más condições do mercado, que demandou a demissão de vários membros da equipe australiana.

Fonte: Criptomoedas Fácil

As informações contidas neste informativo foram obtidas por fontes públicas consideradas confiáveis e possuem caráter meramente informativo, não constitui qualquer tipo de conselho de investimento, jurídico e ou de qualquer natureza.

Comentários