Governo venezuelano mostra suas garras e cria imposto sobre criptomoedas

O governo venezuelano de Nicolas Maduro finalmente mostrou suas garras ao criar um novo imposto sobre criptomoedas. Aqueles que realizam transações com moedas digitais como o Bitcoin agora enfrentam um imposto de 15%, o que muitos descrevem como uma ação oportunista do poder do governo.

Muitas pessoas estão vendo o imposto como um ato de tirania.

A Venezuela é o maior produtor de petróleo da América do Sul, o país hoje é conhecido por ter a moeda nacional mais desvalorizada do mundo. Além disso, o atual governo continua insistindo em vandalizar sua própria economia, uma prática que está rapidamente levando a população a contestar a legitimidade de seu atual líder, Nicolas Maduro.

Juan Guaido recebendo apoio dos EUA e reconhecimento internacional, está causando uma agitação significativa em todo o país.

O novo imposto sobre as criptomoedas foi anunciado no Diário oficial da Venezuela, que é definido como o SUNCRIP (Superintendência Nacional de Ativos de Criptografia e Atividades Relacionadas da Venezuela)

“Imposto com um valor máximo de 15% calculado sobre o total da remessa.”

A SUNCRIP arbitrariamente determina taxas de transação de até 15% sobre criptomoedas. Além disso, com base no decreto, a SUNCRIP define um limite de transação de criptomoedas de US $ 600 por mês. Quando esse limite for atingido, o remetente deverá solicitar ao orgão permissão para enviar mais, que o governo limitará em US $ 3.000.

Isso significa que os usuários de criptomoedas na Venezuela agora podem esperar uma taxa de 15% para cada transação, e uma restrição de US $ 600 em vigor todos os meses. A permissão para enviar mais de US $ 600 é exigida pelo governo, o que significa que, se você quiser ter acesso a mais de US $ 20 por dia, precisa ter uma isenção do governo.

Lembre-se que a Venezuela virou notícia quando se tornou o primeiro país do mundo a adotar uma arquitetura financeira focada em criptomoedas, com a polêmica Petro.

O que esse movimento sugere é que Maduro e seu governo estão menos interessados ​​em aliviar as dificuldades econômicas de seus cidadãos usando a tecnologia e mais impulsionados pela obtenção de fundos suficientes para que possam permanecer no poder. Tudo isso apesar do fato de que seu país está à beira de um colapso.

Governo da Venezuela revela sua face

Há duas coisas que se destacam nesse novo imposto sobre criptomoedas determinado pelo governo venezuelano. O primeiro ponto é que o governo mostrou suas verdadeiras cores e deixou de lado qualquer pretensão de que se importa com seus cidadãos. Não existe planos de introduzir qualquer legislação econômica real para incitar os venezuelanos a retornarem à ordem.

Isso significa que o imposto não tenta esconder as intenções do governo de se alimentar de seus cidadãos. Criptomoedas tem sido uma graça econômica para os venezuelanos, e o governo não ofereceu esforços para fornecer ajuda ou alívio.

Enquanto a economia do país sofria, os moradores descobriram as criptomoedas e uma maneira de sobreviver sem o governo. Agora, as autoridades venezuelanas intervieram e anunciaram um imposto sobre a tecnologia.

O segundo ponto, que talvez seja mais insultuoso para os cidadãos venezuelanos, é o fato de que esses impostos serão cobrados em Petro (a criptomoeda do governo). O que isto significa? Petro, que tem um valor arbitrário de US $ 60 – será agora inflado pela renda que gera via impostos.

Isto fica em contraste com outras criptomoedas que derivam seu valor com base na oferta e demanda. Maduro junto com seu partido político está artificialmente apoiando a Petro para criar demanda e comercializar seu volume para financiar seu governo.

Chavismo precisa acabar

Não é de surpreender que muitos cidadãos venezuelanos estejam condenando esse imposto, levando-os às mídias sociais para expressar sua preocupação. Infelizmente, é improvável que eles sejam ouvidos ou respeitados. Mais de meia década após o falecimento de Hugo Chávez, o país viu um governo mafioso tomar o poder e sofrer com uma economia que está vendo a hiperinflação exceder 1,29 milhão por cento. E não, isso não é um erro de digitação.

Parece que a única missão do atual governo é acumular o máximo de poder possível, mesmo quando o país ao seu redor se erodir e entrar em colapso. Para aqueles que prestam atenção, tornou-se evidente que o status quo no país não é uma solução viável para avançar.

Se Maduro decidir abandonar o poder, o país começará a iniciar sua jornada rumo à recuperação econômica. Quando isso acontecer, também pode ser hora de admitir que o experimento de Hugo Chávez não foi um sucesso.

Fonte: Live Coins

As informações contidas neste informativo foram obtidas por fontes públicas consideradas confiáveis e possuem caráter meramente informativo, não constitui qualquer tipo de conselho de investimento, jurídico e ou de qualquer natureza.

Comentários