Anubinho Entrevista com SaintClair

A entrevista da semana foi com SainClair de Sousa Izidoro, CEO da 3xbit, a primeira exchange do Brasil avaliada pela Ernest & Young!

✦ Conta um pouco pra gente como você conheceu o Bitcoin e porque resolveu entrar nesse mercado?

Eu conheci a Blockchain e o Bitcoin em fóruns, na época de 2012/2013, quando eu atuava pra uma empresa remotamente, o que leva a gente criar um hábito de pesquisa e desenvolvimento bem forte, e deparei com alguns fóruns, especificamente Bitcoin Talk na época, e me deparei com essa tecnologia e achei sensacional, mas guardei ali dentro de um dos itens que a gente acaba encontrando nesse meio. Posteriormente vim evoluindo minha carreira, tanto na parte de gestão de tecnologia, como na parte de desenvolvimento, e fui passando por diversas empresas, dentro e fora do Brasil. No momento em que vendi minha Startup pra uma multinacional, decidi empreender de novo, mas em algo que novamente brilhasse meu olho. Sempre falo isso pra todo mundo, “Empreendedorismo você tem que fazer algo que seja sua paixão”, anteriormente era computação em nuvem, algo que sempre fui apaixonado, e a partir daí percebi que a tecnologia Blockchain seria minha nova empreitada e algo que faria meus dias ficarem mais felizes.

✦ Quais foram suas motivações pra abrir a Exchange?

Toda startup deve nascer da proposta, da necessidade, pra se resolver um determinado problema. E quando eu já era cliente desse segmento, já tinha realizado algumas transações tanto nas plataformas diretamente como via integração de API, vi que muita coisa tinha que evoluir. Principalmente aqui no Brasil, a gente estava ficando muito “a quem” daquilo que estava acontecendo lá fora. Meu primeiro movimento foi entender e estudar o posicionamento das Exchanges brasileiras a nível global. Um desafio que me motivou e de fato eu busquei como premissa é que eu ouvia muito de Traders e pessoas dizendo que não tinha qualidade técnica aqui no Brasil, não tinha liquidez pra poder realizar operações, não tinha segurança, não tinha atendimento e afins. Eu mesmo, particularmente, tive o desprazer de numa determinada Exchange internacional, aguardar 6 meses pra ter um atendimento. Isso é inadmissível quando se trabalha com recurso de terceiros! Por todos esses aspectos, entendendo essas necessidades, com approach técnico, com approach de gestão, com approach de como eram conduzidos alguns negócios, eu entendi que algo novo podia ser criado. E a inovação é algo que tenho arreigado comigo, entendia que podia propor algo novo pro mercado. Essa foi a motivação, trazer algo diferente pro mercado, algo que em primeira estância pudesse brilhar os meus olhos, mas que pudesse brilhar os olhos dos outros também. A 3xBit nasceu com uma proposta muito clara, a proposta de levar o Brasil pro mundo e trazer o mundo para o Brasil. Eu quero tanto os brasileiros sintam orgulho daquilo que tem e nasceu aqui como os gringos, olhem pra cá e vejam que tem sim qualidade técnica, tem sim um bom atendimento e tem sim inovação.

✦ Qual a sua visão atual sobre o mercado de Bitcoin no Brasil e no mundo?

Eu entendo que no Brasil e fora também, estamos vivenciando apenas a primeira onda de crescimento da tecnologia, como um todo. Sobre o mercado, obviamente, como decorrência da tecnologia, temos muito a crescer, muito a evoluir. As pessoas se restringem muito a Exchange, operação de Exchange, ou mesmo produtos mais conhecidos no mercado, mas a tecnologia permite um crescimento vertiginoso. Acredito que mesmo já existindo a 10 anos, essa é a primeira onda de evolução. Em pouco tempo poderemos contar histórias bem legais que a gente fez parte de tudo isso, como percursores temos muito a evoluir. Aqueles que conseguem enxergar as lacunas do mercado, conseguem enxergar o quanto ele ainda tem a oferecer e as resoluções de problemas, necessidades dos clientes, vão ter destaque, esse é o momento. O que eu digo sobre o mercado é a gente está apenas começando o jogo, ainda tem muita coisa pra evoluir. Eu acredito também, falando do mercado nacional especificadamente, o mindset tem que ser sempre de união, no aspecto de levar realmente o Brasil pro mundo, e trazer o mundo pro Brasil. O nicho ainda é muito pequeno, temos que levar pra outras classes e a outras pessoas. E como a gente vai fazer isso? Através de educação e de fatores de usabilidade, pra isso a experiência é muito importante. Outras formas de ter acesso a esse tipo de ativo, a realizar essas trocas de um jeito mais simples, esse é o caminho. Eu torço por todos que estão atualmente no mercado nacional, desejo que todos tenham crescimento. A ideia é o destaque de todos de uma forma que o mundo enxergue que o Brasil tem a qualidade necessária pra essas negociações e não só isso, mas também que o Brasil vai fazer parte da história da criptomoeda em todo mundo.

✦ Você aconselharia alguém investir em Bitcoin?

O que eu aconselho as pessoas investirem é o seu tempo em estudo. Não em Bitcoin especificamente. A gente foi por muito tempo catequizado a investir naquilo que nos dizem ser bom, ser positivo, ser lucrativo e a gente tem que mudar esse mindset. Eu oriento as pessoas que me perguntam sobre isso a estudarem a tecnologia, a estudarem o Bitcoin, a estudarem as outras moedas, porque essa decisão tem que partir delas. Vejo muitas pessoas partindo pro lado especulativo, pessoas que acham que do dia pra noite vão ficar ricas, e quando começam o jogo entendem que não é bem por ai. É um mercado que tem uma volatilidade muito alta, e olhando por esse critério, sugiro sempre que as pessoas comecem um caminho voltado pro estudo. A partir desse estudo elas tomarão essa decisão. É um mercado que dá muita liberdade? Muita liberdade, mas ao tempo também requer muito esforço particular e infelizmente nem todos estão com esse interesse, e acabam se enveredando em caminhos fáceis, ou que entregam resultados fáceis e isso é muito perigoso.

Qual a sua expectativa de preço para o Bitcoin em 2019 e para o futuro?

Essa é uma das perguntas que recebo constantemente, e eu brinco com as pessoas de que ele tem 50% de chance de cair e 50% de chance de subir. Brincadeiras a parte, sem análise grafista, sem análise técnica fundamentalista, uma opinião pessoal, um chute, eu acredito que o Bitcoin deva chegar aos seus 5 mil/6 mil dólares no final do ano. É uma expectativa que tenho, mas só como chute, nenhuma análise técnica envolvida.

 Quais são os planos da 3xBit para 2019?

Inovação tem sido uma característica bem presente no nosso dia a dia e faz parte do nosso DNA. A gente quer continuar entregando soluções que sejam úteis pros nossos clientes, porque assim a gente sabe que o crescimento vai ser natural, orgânico e aí, nós vamos alcançar nosso objetivo, que é ser destaque, tanto no Brasil como fora dele.

 Qual sua opinião pessoal sobre a regulamentação do Bitcoin?

É importante deixar claro às pessoas, que o Bitcoin em si, não será regulamentado, o que pode ser regulamentado e quando for, serão os agentes que o circundam, como Exchanges e demais players, pois ali sim é possível mensurar essa “passagem” do mundo tradicional (FIAT) para o mundo digital e esta que deve ser claro para os questionamentos sobre tal assunto, acredito que o mais coerente é sempre ter segregado, cada ativo “em seu quadrado”, como fazemos por aqui, se trabalho com o mundo antigo (Dólar, Real e afins), infelizmente devo seguir as regras do mundo antigo, se trabalho com a linha lógica de Satoshi e com o propósito para o qual a moeda/ativo/tecnologia nasceu, nada mais justo de ter a liberdade para qual foi idealizada, assim acontece por aqui.

Facebook | Instagram | Site Oficial da 3xbit

Comentários