O sistema bancário atual é uma fraude?

Então, final de mês, domingo, você trabalhou quatro semanas até chegar à fadiga, você passou noites sem dormir trabalhando em um projeto – no final de tudo, no entanto, você tem o seu salário na mão. Você finalmente tem seu salário, ou não?

O fato amargo é que não é você, mas seu banco que recebeu o salário. No nosso dia-a-dia, dependemos mais do que tudo dos bancos para o dinheiro que ganhamos – quando deveria ser o contrário; isto é, os bancos deveriam depender de nós, pelo dinheiro que eles oferecem ao mundo.

E quando se presta muita atenção, todo o sistema parece ser um absurdo! Como uma terceira parte que não teve nenhum papel na quantidade de trabalho que fizemos e nos esforços que colocamos, tem uma palavra a dizer sobre a quantidade de dinheiro que podemos retirar e o número de vezes que podemos sacar?

Hoje estamos aqui para trazer alguns fatos sobre o sistema bancário que mostrarão a você como todo o sistema bancário é uma farsa:

Todos os bancos estão falidos?

Sim, isso não é um ato de Deus, ou uma calamidade natural ou um tsunami – todos os bancos estão quebrados. Afinal, eles não têm dinheiro próprio – quaisquer bens que eles pareçam ter foram fornecidos a eles por seus clientes.

É verdade que eles ganham pequenas quantias de juros sobre o dinheiro que depositamos com eles, mas na verdade não é suficiente. Então, de onde vem o dinheiro? Bem, é um sistema em queda que iremos lentamente desvendar.

Bancos de Reserva Fracionária

Agora, a maior fraude que os bancos podem ter é que eles vão em frente e oferecem mais dinheiro do que realmente têm, e isso é conhecido principalmente como Banco de Reserva Fracionária.

Como mencionado anteriormente, os bancos têm uma oferta limitada de dinheiro – todo o dinheiro que eles têm para oferecer é o que depositamos lá, então como é que quando uma pessoa solicita um empréstimo grande, os bancos estão prontos para dar esse dinheiro como se fosse deles. O fato triste é que os bancos estão realmente oferecendo ‘seu’ dinheiro aos outros ao conceder empréstimos – e a garantia de crédito que eles oferecem não é tão verdadeira quanto parece. 

Criação de crédito falso

Vamos agora ver como os bancos criam dinheiro falso na economia. Supondo que você depositou mil reais no banco; O próximo passo do banco seria manter dez por cento (R$ 100) do dinheiro em caixa e usar o restante, R$ 900, como dinheiro do próprio banco. Então, agora o banco tem seu dinheiro, que é mil reais pelo bem da aparência e 900 reais como seu próprio dinheiro. Assim, o dinheiro total aumenta para R$1900.

E agora suponha que você queira seus mil reais de volta – aqui está o que o banco fará – assim como você depositou dinheiro no banco, há muitos outros que depositaram dinheiro no mesmo banco de maneira semelhante – os bancos usarão uma pequena porcentagem o dinheiro depositado por várias pessoas e devolvê-lo a você como “seu” dinheiro.

Isso tudo é apenas um esquema oco.

O Banco Central

Talvez a brecha mais significativa no sistema bancário da economia seja o Banco Central e suas atividades, e a maior fraude que ela desempenha é a impressão de dinheiro ou financiamento deficitário.

Sempre que a oferta de moeda na economia está caindo, os bancos recorrem ao financiamento deficitário e imprimem mais dinheiro, mas a quantidade real de bens e serviços na economia permanece a mesma. Portanto, embora agora, em vez de R$ $ 100, você tenha R$ $ 200, não pode comprar um saco extra de arroz porque a produção total não aumentou apenas o papel-moeda.

Conclusão

Aumento real da economia ocorre quando a produção total aumenta e não a quantidade total de dinheiro que circula no mercado. Há muitas outras brechas no funcionamento dos bancos na economia, mas, por enquanto, elas devem ser suficientes para abrir seus olhos para a realidade do mundo bancário. No Bitcoin não existe isso.

Fonte: Live Coins

As informações contidas neste informativo foram obtidas por fontes públicas consideradas confiáveis e possuem caráter meramente informativo, não constitui qualquer tipo de conselho de investimento, jurídico e ou de qualquer natureza.

Comentários