Rússia vai investir pesado em Bitcoin, segundo economista

O país sede da última copa de mundo, e uma das potências bélicas e econômicas mundiais, a Rússia pode estar para entrar comprada no Bitcoin em grande volume.

A previsão é de um economista e professor universitário ligado ao Kremlin, Vladislav Ginko, é de que a Rússia compre por volta de U$ 10 bilhões de Bitcoin ainda no primeiro trimestre de 2019.

O fato revelado ao mundo com exclusividade do portal Micky, pode estar para acontecer em “poucas semanas”, de acordo com o professor e economista.

O motivo da movimentação financeira rumo a criptomoeda, é de que as sanções dos EUA a governantes russos foram muito pesadas, e a adoção ao Bitcoin poderia diminuir o impacto das finanças.

Com os impedimentos pesando, o governo se vê pressionado a diversificar o caixa, e de acordo com Ginko, “As sanções dos EUA podem ser mitigadas apenas pelo uso do Bitcoin”.

O professor acredita que em fevereiro de 2019 os EUA irão impor a Rússia novas sanções, e o momento será propício para que o país russo entre investido pesado na criptomoeda descentralizada.

Na mídia mundial, uma criptomoeda da Eurasia estaria no radar para ser lançada até 2020 entre países do bloco, uma das principais motivações seria o mesmo caso relatado pelo economista russo.

A Estônia é um dos países amigos da tecnologia blockchain e criptos em geral, e na data 08 de janeiro o primeiro minitro do país, Juri Ratas, disse ao mundo que espera melhorar as suas relações com a Rússia, ou seja, se o país prestar atenção no ecossistema de inovação acontecendo na Estônia e ligado às criptomoedas, o país russo pode se beneficiar ainda mais em relação aos problemas que vem enfrentando com os EUA, e quem sabe até, ser um país amigável ao Bitcoin.

Ginko ainda reafirmou que “Eu, como economista especialista na Academia Presidencial Russa de Economia Nacional e Administração Pública, coloquei o peso da minha mídia pública no trabalho para persuadir várias partes interessadas da sociedade russa sobre a necessidade de investir as reservas do banco central em Bitcoin”.

Em 2018, o presidente russo Vladimir Putin deu uma declaração dizendo que “não estamos nos afastando do dólar, é o dólar que está se afastando da gente”. Isso dá credibilidade a fala do professor.

No fim de 2017, Putin mordeu e assoprou as criptomoedas ao mesmo tempo, mas finalizou dizendo que o país “tem que tirar vantagens das inovações bancárias do mundo”. Isso pode ser mais um ponto a favor da entrada no Bitcoin.

A Rússia também está junto a China buscando uma alternativa comercial para os dois países que tire o peso da moeda americana de cima. O fato é que alguma moeda além dólar está sendo procurada para uso, e o Bitcoin, se depender do economista entusiasta, será a bola da vez.

Cabe o destaque que a Rússia triplicou sua reserva em ouro físico no ano de 2017, uma clara indicação da busca pela proteção cambial. O Bitcoin como solução é uma vantagem pois possui correlação alta com o ouro físico, de acordo com um estudo recente.

Para acompanhar uma compra desta magnitude, caso ocorra mesmo, uma das ferramentas é o Whale Alert, que busca dados de exchanges em tempo real e soltam ‘posts’ pelo Twitter e Telegram.

Fonte: Live Coins

As informações e conteúdos contidos nos posts, notícias, informativos e materiais disponibilizados pelo AnubisTrade foram obtidos por fontes públicas e consideradas confiáveis e possuem caráter meramente informativo, não constituem qualquer tipo de conselho de investimento, jurídico e ou de qualquer natureza. O AnubisTrade e seus colaboradores não se responsabilizam por qualquer decisão de investimento que sejam embasadas pelo conteúdo disponibilizado em suas redes sociais, canais em aplicativos de mensagens instantâneas, Blogs, Website, perfil pessoal de seus diretores e ou colaboradores. Os desempenhos anteriores do Mercado não são garantia de resultado futuro.

Comentários